I JORNADA DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO: SUGESTÃO 2009

04/11/2009

_______________________________________________

(2009, Produtos e Serviços de Informação, 5º semestre de graduação)

_______________________________________________

Escopo

Um evento para apresentar o gestor da informação à comunidade, abraçando sob o mote “SuGestão 2009” e temática principal “Gestão da Informação e Desenvolvimento”, trabalhos acadêmicos, produtos tecnológicos, palestras de gestores atuantes em empresas consolidadas no mercado, novos projetos, histórico e parcerias do curso. Tudo isso em comemoração aos 10 anos do curso de graduação em Gestão da Informação, 15 anos do Jardim Botânico Municipal de Curitiba e 45 anos do Museu Botânico Municipal de Curitiba, parceiros e sede do evento.

Premissas

O gestor da informação é o profissional da atualidade e do futuro, capaz de lidar com a informação nos mais diversos contextos. Os 10 anos do curso de graduação incentivaram à divulgação desse potencial e à integração entre docentes e discentes de graduação e pós-graduação na busca por mostrar as competências dessa profissão.
Um evento com benefícios à comunidade infanto-juvenil, adulta e empresarial, apresentando as faces de atuação da gestão da informação no desenvolvimento social, econômico, organizacional, sustentável.

Produto: o evento e subprodutos

A Jornada, realizada no Museu  Botânico Municipal de Curitiba, teve duração de 9 dias entre julho e agosto de 2009, e apresentou os seguintes subprodutos:

| evento em CD-ROM;

| painéis e exposições de histórico, trabalhos acadêmicos e projeto Mapa Verde Curitiba;

| sessões temáticas de trabalhos acadêmicos;

| palestras temáticas com gestores formados;

| atividades de educação ambiental para crianças;

| Mapa Verde Curitiba;

| ilha tecnológica: realidade aumentada, twitter, blog, materiais de parceiros;

| vídeos informativos e de trabalhos desenvolvidos;

| conferência sobre “Gestão da Informação e Desenvolvimento”.

Retorno sobre o investimento

O evento teve participação de mais de 3000 pessoas durante sua realização, de em média 200 cidades do Brasil e 10 países. Teve participação em mais de 100 rádios de todo o Brasil e em todas as emissoras de televisão do Paraná, totalizando, em termos de imprensa, um retorno médio de R$ 42000,00.

As parcerias consolidadas com Ciabrink (R), O Boticário, Oppitz Soluções Tecnológicas, Redisul Engenharia de Redes, Elco Engenharia de Montagens e o próprio Museu e Jardim Botânicos, sem visar o lucro e com foco em troca de serviços, giraram em torno de R$ 200000,00 em investimento de recursos, tempo, produtos, serviços e imprensa.

O evento foi financiado pela SETI e pela UFPR, por participação em editais.

Rendeu aos gestores da informação formados pela UFPR o prestígio de todas essas entidades e organizações, inclusive da Prefeitura Municipal de Curitiba, a abertura de portas em novas organizações e contatos que poderão gerar parcerias duradouras e produtivas.

Reflexão e considerações

Realizar a I Jornada de Gestão da Informação foi um desafio excepcional à comissão organizadora, pelo volume de conteúdos e recursos envolvidos, além da responsabilidade do evento em divulgar a profissão.

Aplicar a gestão da informação ao desenvolvimento é uma missão e uma premissa que todo profissional da área deve seguir, para que sua atuação tenha benefícios além dos econômicos, mas que contribua efetivamente para o crescimento da sociedade.

Dados gerais

Orientação: Profª. Drª. Maria do Carmo Duarte Freitas

Equipe*: Ana Carolina Greef; Francisco Daniel de Oliveira Costa.

*os autores estão cientes e de acordo com a puublicação deste conteúdo

Mais…

Deixe comentários sobre o conteúdo (link abaixo)

Para obter o texto completo: ac.greef@gmail.com

____________________________________________________________

 

Anúncios

CRITÉRIOS DE QUALIDADE DA INFORMAÇÃO

02/11/2009

_______________________________________________

(2009, Segurança da Informação, 5º semestre de graduação)

_______________________________________________

Escopo

Sistematização de critérios de qualidade da informação e respectivos significados, essenciais para o uso dessa informação em qualquer meio – pessoal, organizacional, educacional.

Produto: mapa conceitual

O estudo teve como produto um mapa conceitual de critérios e definições, objetivo e passível de consulta a qualquer momento para verificação da informação em questão:

Critérios de qualidade da informacao

Critérios de qualidade da informacao

Reflexão e considerações

O trabalho com a informação exige que sejam utilizados critérios de qualidade para avaliá-la e oferecer aos usuários produtos e serviços confiáveis. Nem todo critério é aplicável a todas as situações, logo cabe ao gestor da informação identificar a demanda e o contexto informacional para atuar de forma coerente junto ao usuário.

Dados gerais

Orientação: Prof. Dr. Mauro José Belli

Mais…

Deixe comentários sobre o conteúdo (link abaixo)

Para obter o texto completo: ac.greef@gmail.com

____________________________________________________________


POLÍTICAS DE INFORMAÇÃO: SISTEMATIZAÇÃO DE UM MODELO DE DIRETRIZES INFORMACIONAIS PARA COLÉGIO ESTADUAL FLÁVIO F. DA LUZ

02/11/2009

___________________________________________

(2008, Políticas de Informação, 4º semestre de graduação)

___________________________________________

Escopo

Identificação de aspectos do uso do Portal Dia-a-Dia Educação por professores do Colégio Estadual Flávio F. da Luz (Curitiba, PR), para comparação entre as características do Portal e esse uso efetivo, visando modelar uma política de informação unindo ambas as vertentes.

Premissas

Políticas de informação devem  explicitar a mentalidade e a realidade de organizações privadas ou públicas, mediando a inserção de tecnologias em ambientes de valores e práticas pedagógicas como a rede de ensino,  devolvendo ao humano o controle sobre tarefas e de decisões.

Métodos

Para cada objetivo do projeto, foi estabelecido um conjunto específico de métodos de pesquisa e, consequentemente, de resultados:

Objetivos e métodos do desenvolvimento da Política de Informação

Objetivos e métodos do projeto de Política de Informação

Produto: modelo de política de informação

A política de uso do Portal Dia-a-Dia Educação pelos professores do Colégio Estadual Flávio F. da Luz (Curitiba, PR) tem como objetivo apresentar conceitos do Portal, objetivos de uso desse como apoio a práticas de ensino no Colégio  e meios adequados de aplicação desses objetivos.

Foi construída com os seguintes componentes:

| Introdução e esclarecimentos sobre a política

| Definição de termos

| Princípios do Portal e usos de seu conteúdo (comunicação, formação e informação)

| Postagem de conteúdos no Portal (Ambiente Participativo Colaborativo)

– propriedade intelectual

– avaliação dos conteúdos

| Tecnologia de acesso ao Portal e segurança da informação

| Assessorias

| Avaliação

Reflexão e considerações

O projeto permitiu identificar falhas sobre os objetivos de uso do Portal Dia-a-Dia Educação e seu uso efetivo, possibilitando a sugestão de um modelo preliminar de política de informação. Esse modelo contribui para a resolução de problemas identificados no estudo de caso  e determina que a tecnologia seja desenvolvida e utilizada com foco em necessidades informacionais de seu  público-alvo.

Políticas de informação são produtos que o gestor da informação pode desenvolver nos mais diversos contextos para mediar níveis estratégico, tático e operacional e estabelecer normas a serem seguidas na criação, captura, tratamento, análise, disseminação, uso e descarte da informação.

O projeto trouxe experiência à equipe de desenvolvimento e a visão de que todo o processo da informação deve ser sistematizado e normatizado para que possa acontecer com um mínimo possível de barreiras.

 

Dados gerais

Orientação: Profª. Drª. Patrícia Zeni Marchiori

Equipe*: Ana Carolina Greef; Camila Manfrinatto; Florindo Rhaoni Picoli; Francisco Daniel de Oliveira Costa

* os autores têm plena ciência e acordo da publicação deste conteúdo

Mais…

Deixe comentários sobre o texto (link abaixo)

Para obter o texto completo: ac.greef@gmail.com

_____________________________________________________


DIÁLOGO, CRIANÇA, APRENDER, EDUCAÇÃO – CONVERSAS SOBRE SUAS INTERAÇÕES

25/10/2009

_______________________________________________________

(2007, Introdução à Ciência da Informação, 1º semestre de graduação)

_______________________________________________________


Escopo

As teorias da Ação Comunicativa, de Jürgen Habermas, e das Múltiplas Inteligências, de Howard Gardner, embasam este ensaio. O diálogo, formador da personalidade desde a infância, se transforma a cada nível de interação social. Nessa diversidade de interações, é visível a força da lingüística e das competências intelectuais. Escola e educação apresentam-se como fundamentais para o aprender de acordo com tais elementos, fomentando a ação comunicativa de forma plural.

Ensaio

O diálogo constrói a vida. Com palavras, sem palavras… Os muitos diálogos do poema de Drummond nem sempre acontecem para todos, visto que cada indivíduo dialoga como lhe apraz, tal como escolhe a árvore que plantará em seu jardim. 

Rubem Alves compara isso a uma semente que, semeada, produz uma árvore, tornando-se então o “potencial de vida que precisa ser semeado para vir para fora”, brotar, crescer. Gardner, em sua Teoria das Múltiplas Inteligências, incentiva o cultivo dessas sementes (de inteligência), que se inicia no princípio da vida, quando a criança começa, segundo Habermas (1989), a conhecer o mundo sob diferentes perspectivas. A vida implica nesse conhecer contínuo, embasado pelo aprender – Andrade, Silva (2005).

[…]

Estimuladas as suas “forças pessoais”, pelo fomento da linguagem e do dialogar por diferentes formas, o indivíduo passa mais facilmente pelos (de acordo com Habermas) estágios de interação ao longo da vida.

Para se compreenderem os diálogos “com o semelhante, o diferente, […] o surdo-mudo, […] o inominado, […] com as idéias, o sonho, o passado” (DRUMMOND), e todos os outros mencionados pelo poeta, é preciso mais de uma inteligência. Para compreender tais mais de uma inteligências, é preciso aprender a conviver e a comunicar. Pode-se discorrer sobre esse tema por páginas a fio, sem denominar todas as possibilidades apresentadas pelas teorias da Ação Comunicativa e das Múltiplas Inteligências.  O limite, contudo, foi imposto. Espera-se que, como postula Gardner, o tempo dessas múltiplas inteligências tenha chegado (1994). E que assim, os tantos diálogos ultrapassem os muros de uma só poesia.

Fontes

ANDRADE, C. D. de. O Constante Diálogo. Poema.

GARDNER, H. Estruturas da Mente, A Teoria das Inteligências Múltiplas. Tradução: Sandra Costa. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994. 340 p.

HABERMAS, J. Consciência Moral e Agir Comunicativo. Tradução: Guido A. de Almeida. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989. 236 p.

PENSAMENTO Vivo de Rubem Alves. Gravação Audiopar Áudio e Multimídia. Curitiba: Nossa Cultura. 1 DVD (70 min).

Dados gerais

Orientação: Profª. Drª. Patrícia Zeni Marchiori

 

Mais…

Deixe comentários sobre o conteúdo (link abaixo)

Para obter o texto completo: ac.greef@gmail.com

___________________________________________________________



CONTRIBUIÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS ORGANIZACIONAIS

25/10/2009

Projeto implementado _______________________________________________

(2007, Sistemas de Informação,  2º semestre de graduação)

__________________________________________

    Escopo

    Organizar o acervo de material didático-pedagógico do Instituto Cultural Brasil Alemanha, de ensino da língua alemã, aprimorando os processos de manipulação desse material e de avaliação da rotatividade e demandas dos usuários (alunos e professores). Analisar, diante de tais variáveis, a aplicabilidade de um sistema de informação para melhor controle sobre o material supracitado.

    Premissas

    O crescente fluxo de informação nas organizações demanda otimização dos processos de seu gerenciamento, agregando assim maior competitividade às mesmas organizações. Sistemas de informação vêm oferecer suporte nesse sentido, reduzindo custos operacionais de manipulação de dados e disponibilizando ferramentas para tomada de decisão, como relatórios gerenciais.

    Métodos

    Junto aos usuários do futuro sistema na organização, identificou-se funções, estruturas e operações que esse deveria atender: gerar relatórios para prestação de contas, ser de fácil manipulação e atualização, oferecer praticidade, acessibilidade e segurança.

    A seguir, foram mapeados os fatores críticos de sucesso para adequação da ferramenta aos usuários e seleção do sistema ideal para implantação: um sistema de processamento de transações para controle operacional e informatização dos procedimentos de coleta/ digitalização, validação, armazenamento, indexação, consulta e geração de relatórios.

    Análise

    A melhor alternativa para o Instituto seria um sistema já estruturado, preferencialmente disponível gratuitamente à organização, uma vez que essa não tem fins lucrativos e dificilmente poderia adquirir uma solução paga ou desenvolver a sua própria.

    Analisou-se os processos organizacionais relativos ao sistema para confecção do Diagrama Entidade-Relacionamento, Fluxo de dados e de Identificação.

    Diagrama identificacao

    Diagrama identificacao

    Produto: identificação do sistema de informação ideal

    Selecionou-se um software freeware projetado para gestão de acervo em bibliotecas, com módulos de: empréstimo, reservas, verificação de pendências, multas, e emissão de histórico de documentos, movimento diário, entre outros; controle de usuários e documentos (relatórios, consultas e edição); consultas – busca por autor, título, código, assunto, série, entre outros; relatórios – listagens de documentos ordenados de diversas formas; estatística – dimensão do acervo e do banco de dados dos usuários.

    Implementação

    O software foi implementado no Instituto, juntamente com fatores críticos de sucesso para seu uso efetivo, sugeridos pela equipe: inserção na página Web do Instituto, backup periódico do conteúdo, análise de relatórios extraídos do sistema e adequação do acervo às constatações. Um tutorial foi elaborado para familiarização dos usuários com o novo sistema de informação. Atualmente o Instituto tem seu acervo controlado e gerenciado de maneira ótima e em conformidade com os processos de negócio.

    Dados gerais

    Orientação: Prof. Dr. Newton Corrêa de Castilho Junior

    Equipe*: Ana Carolina Greef; Camila Manfrinatto; Florindo Rhaoni Picoli; Francisco Daniel de Oliveira Costa

    * os demais autores têm plena ciência e acordo da publicação deste conteúdo

    Mais…

    Deixe comentários sobre o conteúdo (link abaixo)

    Para obter o texto completo: ac.greef@gmail.com

    ___________________________________________________________


    DEMANDAS DE INFORMAÇÃO INERENTES AO USO DO PORTAL DIA-A-DIA EDUCAÇÃO POR PROFESSORES DO COLÉGIO ESTADUAL FLÁVIO F. DA LUZ CURITIBA / PR

    24/10/2009

    ________________________________________________

    (2008, Demandas de Informação,  4º semestre de graduação)

    ________________________________________________

    Escopo

    Avaliar o Portal Dia-a-Dia Educação enquanto fonte de informações para o ensino por professores de ensino fundamental e médio, identificando até que ponto os recursos oferecidos pelo Portal são acessíveis e adequados aos requerimentos do usuário, bem como quais são as demandas de informação ainda latentes. O estudo de caso foi realizado no Colégio Estadual Flávio Ferreira da Luz, Curitiba – PR.

    Premissas

    Fontes de informação devem garantir consistência, relevância e confiabilidade ao usuário de modo que este possa utilizar o conteúdo para fins pessoais e profissionais. O valor de uso da informação, composto desses critérios, é percebido pelo usuário quando avalia o contexto dessa informação, sua capacidade de resolução de problemas e redução de incerteza, e o grau de necessidade que ele próprio apresenta.

    Métodos

    Na primeira etapa do projeto, o processo de disponibilização do Portal Dia-a-Dia Educação foi analisado e reprojetado de modo a considerar realmente as necessidades do cliente e usuário como insumos do processo. Esse cliente e usuário são, respectivamente, Secretaria Estadual de Educação e Educador:

    Processo real

    Processo real

    Processo reprojetado

    Processo reprojetado

    Análise

    Portal estaria cumprindo seus propósitos apenas em parte, sendo pouco utilizado como fonte de atualização de conteúdos repassados aos alunos, mas apenas como local para pesquisa pura e simples por parte do educador. Esta análise foi realizada mediante questionário estruturado aplicado a educadores do Colégio Flávio F. da Luz (Curitiba, PR). O gráfico abaixo retrata essa realidade, de uma amostra de 26 indivíduos em um universo de 80 educadores (32,5% do universo, validada estatisticamente):

    demandas_informacao_grafico_uso_portal

    Para identificar demandas de informação originárias das percentagens acima, questionou-se aos indivíduos da amostra sobre quais outros conteúdos ou recursos poderiam ser inseridos no Portal para atender a essas demandas: 66,7% responderam haver conteúdos nesse sentido, e 33,3% responderam contrariamente ao restante. As sugestões apontadas giraram em torno de:

    | aplicações pedagógicas de conteúdo;

    | sítios Web com conteúdos específicos para disciplinas, por exemplo português, inglês, matemática, biologia;

    | método para conversão de vídeos a serem trabalhados com apoio da TV multimídia;

    | textos e revistas;

    | jogos.

    Diante dessas variáveis, concluiu-se que existe a possibilidade de adequar o recurso ao seu usuário e demandas específicas, à medida que essas sejam explicitadas. A representação adequada de recursos inseridos em recursos  como o Portal Dia-a-Dia Educação é vital para o apoio ao ensino-aprendizagem por parte desse, reforçando a reestruturação do fluxo acima apresentada.

    Produto: fontes eletrônicas de informação para apoio a decisões e práticas pedagógicas

    Para atender às demandas dos educadores sobre novos conteúdos que deveriam ser inseridos no Portal Dia-a-Dia Educação, foram examinadas e selecionadas fontes eletrônicas de apoio às diversas disciplinas do ensino básico. Isso com base em critérios como relevância, consistência, confiabilidade, atualidade, estética.

    O total de 43 fontes eletrônicas sugeridas foi categorizado segundo a lista abaixo:

    | Auxílio para uso dos recursos multimídia || 3 fontes

    | Educação geral – conteúdos relativos a diversas disciplinas || 6 fontes

    | Artes / Educação física || 4 fontes

    | Biologia / Ciências || 8 fontes

    | Física / Matemática / Química || 13 fontes

    | Geografia / História || 6 fontes

    | Língua portuguesa / Língua Inglesa || 3 fontes

    Dados gerais

    Orientação: Profª Drª Maria do Carmo Duarte Freitas

    Equipe*: Ana Carolina Greef; Camila Manfrinatto; Florindo Rhaoni Picoli; Francisco Daniel de Oliveira Costa

    * os demais autores têm plena ciência e acordo da publicação deste conteúdo

    Mais…

    Deixe comentários sobre o conteúdo (link abaixo)

    Para obter o texto completo: ac.greef@gmail.com

    ___________________________________________________________